Críticas

Apesar do medo, transbordar – A Felicidade Delas (2019)

6ª Mostra de Cinema Feminista A câmera paira sobre a multidão de mulheres gritando palavras de ordem, sobre cartazes exigindo o direito de liberdade de escolha e sobre bandeiras que estampam figuras históricas como Tereza de Benguela. Os cortes são rápidos, tentando dar conta de tudo que está em volta. Pouco a pouco, contudo, a … Continue lendo Apesar do medo, transbordar – A Felicidade Delas (2019)

Antes de ser, também se é

Texto escrito como cobertura da 6ª Mostra de Cinema Feminista Durante a 6ª Mostra de Cinema Feminista me deparo com uma seleção interessante de filmes que retratam a pré-adolescência feminina. Brasil x Holanda (2018), Duda (2019), Como ficamos da mesma altura (2019) e Receita de Caranguejo (2019) trazem ao protagonismo meninas-garotas que se deparam com … Continue lendo Antes de ser, também se é

Aldeia-arena: campo e extracampo em Yãmĩyhex – As mulheres-espírito (2019)

6ª Mostra de Cinema Feminista Tento escrever sobre Yãmĩyhex já há alguns anos. Algo deste filme me desafia a ponto de me deslocar como espectadora e crítica. Talvez porque assisti-lo seja se entregar à experiência do não-saber. Isso porque o filme nos apresenta algo que eu ainda não conheci e que continuo sem conhecer. E … Continue lendo Aldeia-arena: campo e extracampo em Yãmĩyhex – As mulheres-espírito (2019)

Elas e as imagens que retornam: cena e levante em Hoy y no mañana, de Josefina Morandé (Chile, 2018)

6ª Mostra de Cinema Feminista – “Em alguns momentos tenho a impressão de que já vivi isto  e que já escrevi estas mesmas palavras, mas compreendo  que não sou eu, mas outra mulher, que anotou em  seus cadernos para que eu delas me servisse.” – A casa dos espíritos, Isabel Allende   Medo, golpe, genocida, … Continue lendo Elas e as imagens que retornam: cena e levante em Hoy y no mañana, de Josefina Morandé (Chile, 2018)

Mais do que um musical quilombola – A Sússia (2018)

6ª Mostra de Cinema Feminista Certo perigo ronda as discussões sobre representação e representatividade quando tratamos do cinema realizado por pessoas negras, indígenas ou de corpos dissidentes. Perigo presente tanto na concepção desses trabalhos, pelo risco de diretores e diretoras firmarem todas as suas ideias e propostas numa concepção limitada de lugar de fala, quanto … Continue lendo Mais do que um musical quilombola – A Sússia (2018)

Sobre os olhos-diário

Uma conversa entre À beira do planeta mainha soprou a gente, de Bruna Barros e Bruna Castro (2020) e Teko Haxy: Ser Imperfeita, de Patrícia Ferreira e Sophia Pinheiro (2018) 6ª Mostra de Cinema Feminista Duas diretoras dividem a câmera e o papel de filmar. O olhar de uma, na função de atriz/personagem, tem sempre … Continue lendo Sobre os olhos-diário

É noite, sinto que é noite

Por Pedro Rena[1] Escurece, e não me seduz tatear sequer uma lâmpada. Pois que aprouve ao dia findar, aceito a noite. E com ela aceito que brote uma ordem outra de seres e coisas não figuradas.  […] Povoações surgem do vácuo Habito alguma? […] “Dissolução” (1951), Carlos Drummond de Andrade – A longa e escura … Continue lendo É noite, sinto que é noite

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.